Projeto do MST dá aula prática de agroecologia a estudantes de Maricá

35661250433_cd38526e94_z

Iniciativa também prevê a manutenção de hortas agroecológicas em cinco escolas do município

Raquel Júnia
 
Ouça a matéria:

Uma, duas, três…. Nove caixas de couves. E não foi qualquer couve, foi couve sem veneno, colhida por estudantes das escolas municipais de Maricá, na região metropolitana do Rio. A primeira colheita da Unidade Agrecológica foi destinada ao hospital municipal Conde Modesto Leal.

A produção é fruto de uma parceria entre a prefeitura de Maricá e a Cooperar, uma cooperativa ligada ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Felinto Procópio, o Mineirinho, da Coordenação Nacional do movimento, conta que a horta comunitária, localizada no bairro Manu Manuela, possui 30 mil metros quadrados.

“Os plantios são feitos dentro do sistema chamado sintrópico, onde você faz o plantio consorciado, há canteiros que tem couve, alface, beterraba, outros, couve, alface, rúcula, sempre consorciados dois tipos de hortaliças”, destaca.

Ele explica que a horta foi criada também para ter uma função pedagógica, por isso o envolvimento das crianças com o projeto. Desde o início do plantio, alunos da rede municipal visitam a unidade piloto.

“É um momento bonito, de participação, o impacto que dá nas crianças, de ter esse contato com a plantação, com as hortaliças, com o manejo das pragas, perceber isso no dia a dia. Isso causa um impacto muito legal nas crianças e nos professores também”, acrescenta.

O convênio entre a Cooperar e a prefeitura inclui também a assistência técnica e o trabalho pedagógico na manutenção de hortas agroecológicas de menor porte em cinco escolas e também em um centro de atenção psicossocial do município. O coordenador de educação ambiental da Secretaria Municipal de Educação de Maricá, Marcos Antônio Lacerda, fala sobre como o projeto pretende formar um consumo consciente.

“Dentro de uma proposta de sustentabilidade, uma das vias é passar por uma produção de alimento saudável, sem agrotóxicos, orgânicos. Então, isso é de um valor imenso em termos ambientais. Queremos passar esses valores para as crianças. E estamos programando também para visitar os locais de produção de onde vem a merenda escolar, para as crianças fazerem esse link”, afirma.

As próximas colheitas da Unidade Agroecológica vão continuar sendo entregues em equipamentos públicos da cidade de Maricá, como unidades de saúde e creches, sempre com a ajuda dos estudantes.

Edição: Vivian Virissimo

Fonte: Brasil de Fato

Newsletters

Cadastre seu email para receber notícias